O que representa e que novos desafios enfrenta o Plano Estratégico Nacional do Futebol Feminino foi o tema em grande destaque e que motivou esta quinta-feira, à noite, no Auditório da sede da AF Setúbal, um debate muito positivo.

 

Numa iniciativa da FPF, que tem percorrido as associações distritais, Mónica Jorge, Diretora da FPF com particular responsabilidade no âmbito do futebol feminino, detalhou a realidade da variante que tem ganho uma evolução significativa nos últimos anos, quer ao nível das provas dos clubes como no âmbito das seleções.

 

Por esta altura, e de acordo com os últimos registos, o futebol feminino cresceu entre 2014/15 e 2016/17 mais de 35 por cento. São mais de 4000 praticantes filiadas na última época.

 

Esta é a tendência que se quer reforçar, com a duplicação do número de atletas.

 

No sentido de sustentar o desejado aumento de atletas, a FPF admite avançar com a Taça Nacional sub-13, Campeonato Escolar sub-13 (futebol de 7), Seleção Nacional Sub-15 e criar Bolsas para Treinadoras.

 

Clubes da AF Setúbal interventivos

 

Quintajense Futebol Clube, Escola de Futebol Feminino de Setúbal, FC Barreirense e Palmelense Futebol Clube, à exceção do Amora Futebol Clube, foram os clubes que não faltaram ao convite e os seus responsáveis diretivos e técnicos intervieram com sugestões (a criação de uma Taça Distrital sub-13, que poderá vir a ser disputada por representatividade concelhia foi uma ideia levantada), que mereceram o elogio, por parte de Mónica Jorge e do presidente da Direção da AF Setúbal, Francisco Cardoso, que esteve igualmente presente no encontro.

 

No final, ficou evidente que o interesse e o reconhecimento generalizado das instituições representativas e dos clubes a propósito da discussão de temas que visam fazer crescer o futebol no feminino na nossa região e que isso contribua para a projeção nacional.



 

Encontro elogiado e AF Setúbal como exemplo

 

Em jeito de balanço ao encontro, Mónica Jorge declarou ao afsetubal.fpf.pt que “o objetivo foi plenamente cumprido”.

 

“Esta proximidade com os clubes e associações, que têm a sua realidade específica, é fundamental para irmos ao encontro daquilo que será o melhor para o desenvolvimento da modalidade”.

 

A dirigente federativa não hesitou em rotular de “fantástico” o debate dinamizado em Setúbal. “Foi muito positivo contar com o apoio dos clubes e o fato de ser reverem nas ideias e projetos apresentados, num ambiente muito bom e que ajudou a melhorar para o futuro”.

 

No que respeita ao papel que a AF Setúbal tem vindo a desempenhar em nome do futebol feminino, Mónica Jorge assumiu que a nossa instituição “tem feito um trabalho fantástico, com um grande incremento, especialmente na formação e refletido nas várias atletas representadas nas seleções nacionais”.

 

“Neste momento a AF Setúbal é um bom exemplo para outras associações poderem olhar e desenvolver projetos com base na realidade da AF Setúbal”, afirmou a Diretora da FPF.

 

Presidente da AF Setúbal reforçou motivação

 

Francisco Cardoso mostrou-se muito agradado com a participação dos clubes no encontro e não hesitou em partilhar algumas ideias vincadas no evento.

 

O presidente da Direção da AF Setúbal lembrou que um dos compromissos da instituição é, em conjunto com os clubes, fazer crescer significativamente o futebol feminino na região e todas as ideias que apontem nesse sentido são merecedoras de análise.

 

“A AF Setúbal tem sempre as portas abertas e está sempre motivada a acolher este tipo de iniciativas que possibilitem alargar a discussão em nome daquilo que será melhor para os clubes e atletas”, garantiu Francisco Cardoso que agradeceu a presença de Mónica Jorge e da iniciativa federativa.

 

Refira-se que além do líder da AF Setúbal, a representação institucional contou igualmente com o vice-presidente Desportivo, João Aires, e Alexandre Santana, coordenador técnico distrital.